domingo, 7 de agosto de 2011

Desabafando...

Este foi o fim de semana das despedidas. A família veio toda, pela última vez, na casa de Penedo. O domingo chegando ao fim , todo mundo voltando para o Rio de Janeiro, me sinto exatamente como nos primeiros tempos em que viemos para cá, quando eles vinham nos visitar e depois iam embora e eu me perguntava o que é que eu estava fazendo aqui . Até que me adaptei e, com isso, muitos anos se transcorreram até eu me sentir, nesse momento, como nas primeiras vezes. Foi um final de semana muito bom, movimentado, todo mundo alegre, as crianças brincando. Faltou a Marina, que não quis vir. Aí, então, chegou a hora da primeira filha ir embora! Ela não conteve a emoção de saber que não voltaria mais aqui, da mesma maneira. E começou o chororô. E, agora à noite, casa vazia, desarrumada, eu olho e fico pensando em tudo que passamos e nos momentos felizes e estou triste. O baú de vime dos brinquedos deles, pela metade, só com o resto que eles não quiseram levar. O velotrol, que já está pequeno para todos mas, mesmo assim, não o abandonam e brincam com ele, largado no meio do jardim ( as mães não quiseram levar) . Móveis e objetos que não vou precisar sendo entregues aos filhos ou virando parte do brechó que estou fazendo. Cada ambiente da casa parece que perdeu a alma. Cada cantinho, já abandonado, perdeu o significado. Me deu um sentimento melancólico de que não deveria ter feito isso com meus filhos nem com as crianças. Esta casa tem a história do início da vida deles de casados, do nascimento dos netos e deles crescendo. As coisas não precisavam ter que acabar. Mesmo sendo esse término uma escolha bem pensada e planejada. Podia-se mudar mas sempre tendo uma “maquininha do tempo “ para se voltar atrás quando se quisesse !Me arrependi desta despedida ter sido tão adiantada. Poderia ter sido mais à frente, de jeito que eu fosse embora também, não tendo que ficar por último e sentir este vazio. Sei que, assim que amanhecer e eu ver o sol, acaba esse sentimento de drama. Tudo fica colorido e eu volto ao meu normal. Afinal fomos nós que quisemos isso e estamos felizes. Mas como no texto da Marta Medeiros, que postei aqui na semana passada ao anunciar minha decisão ” toda mudança cobra um alto preço emocional”. Não pensem que estou lépida e fagueira achando que vai ser tudo fácil! Uns comprimidos de Lexotan aqui, bons pensamentos ali, altos planos e uma dose imensa do otimismo que me é peculiar acabam sempre ajudando na superação.
Momentos deste final de semana:











Tomara que chegue logo amanhã!

7 comentários:

Valzinha disse...

Ô querida!!! Me emocionei até. Mas o sol vai brilhar e com certeza vc saberá que os bons momentos não foram embora, estão na tua memória e no coração de todos da tua família. Assim como estes que passaram virão novos e maravilhosos momentos, porque muito mais que o lugar, as pessoas que vc tem ao teu redor é que davam o brilho a esta casa, sem elas este lugar ai seria escuro e feio. Felicidade é ter uma família linda como a tua!!!! Bjinhos mil e ótima semana...

Anônimo disse...

Querida,logo vai amanhecer e o sol vai brilhar. Despedidas sempre nos dão um down mas nada como o amanhã e novos momentos, novas emoções, novas alegrias para alegrar nossos corações.
bjs

Pirilampa disse...

Ops, anomimo sou euzinha, que me atrapalhei na hora de enviar.
bjs de novo.
Pirilampa

viviane disse...

Mae, releve o meu chororo... primeiro porque eu choro mesmo ate no Toy Story...rs... depois porque eu sei que outros momentos felizes virao e esta somente eh mais uma nova e boa etapa de nossas vidas (Se Deus quiser, Deus eh bom, Deus eh grande, Deus vai querer!).
O melhor mesmo eh pensar que foi bom enquanto durou! Curtimos muito, como curtimos RDO, Mariz e Barros, Paulo de Frontin. Gracas a Deus! O que significa que na verdade, o que menos importa eh o lugar e sim estarmos juntos!!!
TE amo !!!

Amanda Fonseca disse...

Ai, Vânia, que casa mais linda você tem, e me parece realmente ser um lugar muito, muito bom e tranquilo de se viver... mas se a vida pedia mudanças, que elas venham pra trazer alegrias... serão alegrias de outras formas, com outro estilo, mas sempre serão novas alegrias, amiga, e é isso que importa.
Se essa fase está passando, que a página seja bem virada então. Os momentos serão guardados no coração, nas mentes e nas lindíssimas fotografias que você tem.

Agora é vida nova! Vida que segue!
Vocês serão felizes... porém em outro lugar. A felicidade só está mudando de casa.


Boa sorte neste novo futuro.


Bjssssssss

Anônimo disse...

Ola vânia não desanime há um ditado que o povo diz "sejamos como o sol nada pode apagar o seu brilho"brilhe onde estiver não se deixe abater se você decidiu ir é porque deve precisar ir,senão não abriria mão disso tudo de momentos maravilhosos tudo tem um porque esse livro está na ultima página mas o próximo livro de sua história pode ser mais bonito
animo eliete

Cris Caexeta disse...

Eu acho que é isso mesmo, Vânia, a beleza do lugar está nas pessoas, não exatamente no lugar! Sua família é linda e vai brilhar em qualquer lugar!!! Espero que esteja melhor!